COMPOSTO "4 Rs" DAS RELAÇÕES PÚBLICAS PLENAS

COMPOSTO "4 Rs" DAS RELAÇÕES PÚBLICAS PLENAS

sábado, 14 de abril de 2018

HOJE é data para comemorar!

14 de abril de 2000 - defesa de minha tese de doutoramento na ECA/USP, sob a orientação de Margarida Kunsch.

Trabalho aprovado - com a participação de Marcos Campomar - tradutor de Philip Kotler - e professor da FEA/USP.

14 de abril de 2018 - data de maioridade do texto. Aprovada sua 3a. edição em livro - atualizada, revista e ampliada.


>

terça-feira, 13 de março de 2018

Qual a base de valor para trabalhos free lancer? Há dificuldade em mensurar o valor do trabalho! Valéria de Marco Nicola no grupo RP do Facebook.


Esta, esta é uma das maiores falhas na nossa formação (e em outras também...). 

Os cursos não desenvolvem bem o empreendedorismo e o marketing do profissional liberal que o relações-públicas é.

Mas, vamos lá!

Precificar sempre depende de duas frentes: o custo de quem presta serviço e a capacidade de pagamento do cliente. 

E essas frentes se desdobram: a primeira encampa o 'valor' do profissional, e a segunda, engloba as práticas de mercado.

Dito isto, especulo com base na minha experiência: 

- um(a) profissional júnior em empresa de pequeno porte deve pensar em propor algo como 25 reais por hora de trabalho, independente da tarefa a ser feita (pensar uma estratégia ou redigir um release, por exemplo).

- um(a) RP pleno poderia propor uma remuneração de 50 reais por hora trabalhada.

- um(a) profissional sênior, experiente, cuja hora pode ser proposta ao preço de 100 reais.
>

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Is the book on the table?


O bom relações-públicas não se esconde atrás de jargões ininteligíveis e estrangeirismos, vício muito presente nas áreas de T.I. e no Marketing.

Ao invés de "storytelling", por exemplo, utilizo "arte narrativa".

E o que dizer do terrível neo-estranho-logismo "endomarketing"? Por favor! Na pátria-mãe do marketing, o uso das técnicas mercadológicas junto aos públicos internos é estudada pela área da Psicologia Organizacional e a especialidade atende pelo ótimo termo "internal marketing orientation" (obviamente, ainda sem tradução no Brasil).

Há casos, como com o próprio "marketing", e com o "branding", que não ganharam tradução. Aliás, Manoel Maria de Vasconcellos conta uma história dessas em seu livro "Marketing Básico".

Em RP, contudo, temos sempre que falar também para não iniciados.
>

sábado, 26 de agosto de 2017